[RESENHA] FILME A BRUXA


Olá pessoal!

Há alguns dias atrás, meu marido e eu assistimos o filme A Bruxa (The Witch), já havia um tempo que queria assistir. foi um filme que me agradou a certo modo, mas pelo que eu esperava ver, não gostei muito.

Bora lá saber um pouco mais do que se trata o filme!

Espero que gostem!!!

♥♥♥

Título Original: The VVitch
Direção: Robert Eggers
Roteiro: Robert Eggers
Elenco: Anya Taylor-Joy, Ralph Ineson e Kate Dickie
Origem: EUA
Ano: 2016

Sinopse: Na nova Inglaterra, durante o período de 1630. A família de William e Katherine é forçada se mudar para uma casa na floresta, após um desentendimento com a igreja local. Uma série de eventos questionáveis começam a acontecer. Afetando cada membro da família, despertando seus piores medos e seu lado mais obscuro.

Quando insisti com meu marido pra assistir o filme comigo, já que eu gosto de filmes de terror e ele não, achei que fosse levar uns bons sustos. O que não aconteceu.

Em compensação, o filme nos surpreende sendo um pouco pesado e de certa forma bastante reflexivo. Confesso que não encontrei o terror que nos havia proposto, mas me fez ficar presa a tela do início ao fim. Por conta de tanta expectativa que eu tinha para com o terror, o filme me decepcionou. Não que eu não tenha gostado, gostei de certa forma. Mas, pelo que eu esperava não me agradou.


Um dos temas principais do filme é acerca do teor religioso que permeia toda a história. Após um desentendimento com a igreja local, William (Ralph Ineson) e Katherine (Kate Dickie) são forçados a abandonar a pequena vila onde vivem e partem sem rumo à procura de um novo lar, com cinco filhos, sendo um deles um bebê recém nascido. Nunca ficamos sabendo o que de fato aconteceu, mas a questão é que esse ocorrido não abalou a fé da família, que segue temente a Deus, inclusive, com um fanatismo exagerado.

A Bruxa se passa na Nova Inglaterra do século XVII, onde a religião era a resposta de tudo. Após alguns dias de viagem, a família se estabelece em uma clareira, ao lado de uma imensa floresta que é, ao mesmo tempo, bela e assustadora. A cena dos personagens ajoelhados ao decidir que esse é o local perfeito para viver é completamente irônica. Depois de um tempo, o filme  nos mostra a casa erguida, uma plantação de milho e um celeiro. Ainda assim, o cotidiano continua árduo. O isolamento, além de más condições de vida, provoca danos psicológicos.


Não há perspectiva alguma de mudança para melhor. E tudo piora, quando o bebê desaparece misteriosamente enquanto está sob os cuidados da filha mais velha, Thomasin (Anya Taylor-Joy). É na fé que a família tenta superar a dor, mas a ameaça que vem da floresta se torna cada vez mais evidente e o terror estabelece até mesmo um clima de paranoia entre eles.

Depois desse acontecido as cenas seguintes dão destaque ao filho Caleb (Harvey Scrimshaw), como o adolescente que se sente na obrigação de se erguer como um dos homens da casa, e aos gêmeos caçulas Mercy e Jonas. Outro trunfo de A Bruxa é não ter personagens descartáveis e contar com atuações competentes de todo o elenco. Thomasin, que pode ser apontada como a principal protagonista, encarna com louvor a figura de injustiçada, remetendo aos julgamentos de mulheres durante a inquisição.


Como eu disse, não é um filme de terror, mas ainda sim eu o recomendo. Pelo fator religião, pela ambientação que foi muito bem feita, pelas atuações, pelas quais eu bato palmas e pelo simples fato de ter conseguido mexer com o meu psicológico.

E você, já assistiu?

Beijos,
Grazi

0 comentários:

Postar um comentário

Resenhas