[Resenha] Vango - Entre o Céu e a Terra - Timothée de Fombelle

Sinopse: 
Salvar a pele e, ao mesmo tempo, descobrir a própria identidade. Este é o grande desafio de Vango, o jovem herói do novo romance do premiado escritor francês Timothée de Fombelle. Ao ler esse thriller histórico, ambientado no conturbado período entre as duas grandes guerras mundiais, somos impelidos a fugir com Vango pelos cinco continentes, num clima de absoluto perigo e suspense. Este rapaz órfão de 19 anos desconhece sua origem assim como desconhece a motivação do franco atirador que, além da polícia, está em seu encalço. Deparamo-nos com Vango na solenidade em que ele e outros seminaristas seriam ordenados padres na suntuosa catedral de Notre-Dame, em Paris. O assassinato do padre Jean, seu protetor, desencadeia a perseguição ao rapaz, que empreende uma fuga espetacular ao escalar nada menos do que os famosos vitrais da catedral. Essa cena é apenas um exemplo do clima de perseguição e aventura de que é feita toda a narrativa, quando acompanharemos nosso protagonista em situações e lugares improváveis – como um intruso escondido num caça da SS, galopando nas Terras Altas da Escócia, dependurado num vulcão italiano ou sobrevoando o Brasil e vários outros lugares num zepelim. O fracasso em não ter sido ordenado padre deixa nosso herói arrasado, mas a jovem Ethel fica bem feliz. É ela quem vai ajudar Vango a provar sua inocência e descobrir sua identidade. Também fazem parte da saga outros personagens marcados por vidas cheias de segredos, como Mademoiselle, a senhora poliglota e sem memória com quem Vango é salvo do naufrágio na costa da Sicília aos três anos de idade e Hugo Eckner, personagem verídico, comandante alemão do Graf Zepelin, esse grande dirigível que fascinou o mundo nas primeiras décadas do século XX. Outras personalidades incorporadas à história são Joseph Stalin, sua filha Svetlana e Adolf Hitler. O ritmo acelerado, o uso da narrativa em flashback e as descrições cinematográficas de diferentes lugares e temporalidades impressionam. Ficamos lado a lado com os personagens da história, enfrentado os mesmos desafios. Fruto de uma minuciosa pesquisa em arquivos históricos, a referência aos acontecimentos dos anos 1930 nos dá a oportunidade de conhecer o significado dos regimes totalitários naquele período, ajudando-nos a refletir sobre política, liberdade de expressão e direito às diferenças em nossos dias.

Quando recebi essa cortesia da Editora Melhoramentos, fiquei bem feliz, afinal seria minha primeira experiência com um thriller histórico. 

A história começa com Vango, aos 19 anos prestes a ser ordenado padre, vê sua cerimônia e a de seus colegas interrompida por agentes que tencionam prendê-lo pelo assassinato do padre Jean. Apesar de dizer ser inocente, Vango acaba fugindo, temendo pela própria vida. Uma confusão começa, tiros são ouvidos e, furioso, o delegado Boulard faz de tudo para achar Vango e descobrir a identidade de quem disparou os tiros.

São tantas dúvidas a serem esclarecidas: quem são os pais de Vango? Quem está atrás dele? De onde ele veio? Por que  querem matá-lo?

São essas dúvidas que fazem com que os leitores fiquem presos no livro. A história é  todo um mistério, um suspense, romance e ação. Tem coisa melhor para um leitor?

Pequenos milagres podem acompanhar grandes desgraças. Era isso o que Vango sempre pensara. Bastava ter confiança.

A única coisa que Vango sabe sobre si, é quem quando ainda criança, em uma noite de tempestade, ele e Mademoiselle (quem o criou) foram resgatados pelos moradores da ilha Salinas, depois dos dois terem sido jogados pelas ondas na praia. 


Vango: Entre o Céu e a Terra, nos introduz na história em  um dos períodos mais conturbados da 
humanidade, o das duas grandes guerras mundiais.  Eu acho muito bacana a ideia de romancear fatos históricos. A possibilidade de colocar personagens reais e fictícios, em um mesmo plano, é fascinante!

Confesso que lendo só o título, não tinha intenção nenhuma de ler, mas depois de ler algumas resenhas e a sinopse, mudei de ideia. Foi um livro que demorei para ler, pois, queria entender a fundo, tudo o que o autor quis nos passar. 

Num instante, todo o absurdo da guerra se revelou aos quatro. Se combatentes podiam se conhecer à beira de um campo de batalha transformando em cemitério e partilhar uma lembrança tão frágil e tão fugidia quanto o rosto de uma moça, tudo era possível. 

Gostei da forma de como tudo pareceu se encaixar, o autor soube prender os leitores, cada personagem tem seu segredo e a cada página virada uma surpresa diferente e isso foi o máximo! É um livro infanto juvenil, o que é muito bom, nos traz consciência sobre aspectos difíceis da história, como a passagem de guerras importantes, onde inimigos foram obrigados pelas circunstâncias a tornarem-se amigos, descobrindo o lado humano que esses confrontos tentam camuflar uns nos outros; a opressão de Hitler, que controlava tudo, usando o personagem verídico de Hugo Eckener, que não apreciava a ideia de que seu Graf Zeppelin servisse de símbolo nazista, já que era totalmente contra esse regime, e tudo isso de forma suave, porém muito reflexiva.


Amei a diagramação do livro, as letras tem uma cor diferente, as páginas são amareladas, o que é muito bom e tem algumas ilustrações, achei bem bacana. A  editora acertou em cheio ao publicar esse livro do autor Timothée de Fombelle, eu ainda não o conhecia, mas gostei muito da maneira como escreve.

Indico para todos, mesmo para quem não curte livros de mistério e aventura, esse é uma boa pedida. Já quero o volume 2! ;)

Título Vango - Entre o Céu e a Terra// Autor Timothée de Fombelle// Editora Melhoramentos// Páginas 360// Minha Classificação 4/5

2 comentários:

  1. Quando bati o olho pela primeira vez na capa desse livro não tive vontade nenhuma de ler, pensei que seria alguma biografia ou algum relato histórico, sem contar que a fonte deixa o título um pouco difícil de ser entendido. Mas aí eu li a sinopse e algumas resenhas e bateu uma grande curiosidade... Adoro livros que mesclam fatos históricos e ficção, por isso já coloquei esse aí na minha listinha de desejados... hehehe
    adorei a resenha
    bjus
    http://reticenciasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andrea.
      Eu também não curtir muito a capa, mas depois lendo algumas resenhas, comecei a gostar e assim que terminei a leitura, vi o quanto julguei o livro pela capa.
      Vale a pena a leitura!
      Bjo.

      Excluir

Resenhas