[Resenha] Sejamos Todos Feministas - Chimamanda Ngozi Adichie

Sejamos todos feministas - O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo."A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: Você apoia o terrorismo!. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são anti-africanas, que odeiam homens e maquiagem começou a se intitular uma feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens.Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Li alguns comentários na internet sobre esse livro e logo me despertou interesse, comecei a procurar para comprar e logo vi que a Livraria Cultura, estava disponibilizando gratuitamente. Baixai o e-book e o li em menos de 30 minutos. O livro é bem curto, cerca de 70 páginas e é a transcrição de uma palestra dada pela nigeriana Chimamanda, em 2009.

O texto se trata  sobre a  questão de gênero com o foco no que ocorre na sociedade nigeriana, não muito distante do que vivenciamos no Brasil. Fala sobre a desigualdade salarial, sobre o tratamento da mulher com relação a pequenas coisas e sobre os esteriótipos, masculino e feminino.

Decidi falar sobre o feminismo porque é uma questão que me toca especialmente. Suspeitei que não seria um assunto muito popular, mas pensei que poderia começar um diálogo necessário. (...) No fim, a aclamação da plateia, com todos de pé, me deu esperanças.

O texto é bem envolvente, nos faz pensar em como a mulher, mesmo nos dias de hoje, é tratada. Em como as vezes "achamos" até normal esse machismo e muitas vezes não brigamos e nem questionamos se o que foi dito/feito, foi certo ou errado.


O machismo não é normal e nós, mulheres, não devemos considerar que ele seja assim tratado em nossa sociedade. Homens e mulheres são apenas fisicamente diferentes, mas todos têm igual capacidade.

Falar é fácil, eu sei, mas as mulheres só precisam aprender a dizer NÃO a tudo isso.

O problema da questão de gênero é que ela prescreve como devemos ser em vez de reconhecer como somos. Seríamos bem mais felizes, mais livres para sermos quem realmente somos, se não tivéssemos o peso das expectativas do gênero.

Decidi me tornar uma "feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”.

Título Sejamos Todos Feministas// Autora Chimamanda Ngozi Adichie// Editora Companhia das Letras// Páginas 77// Minha Classificação 4/5

0 comentários:

Postar um comentário

Resenhas